quinta-feira, 10 de junho de 2010

Hoje como Ontem...

 
"Vi-te a trabalhar o dia inteiro
construir as cidades pr'ós outros
carregar pedras, desperdiçar
muita força pra pouco dinheiro
Vi-te a trabalhar o dia inteiro
Muita força pra pouco dinheiro

Que força é essa [bis]
que trazes nos braços
que só te serve para obedecer
que só te manda obedecer
Que força é essa, amigo [bis]
que te põe de bem com outros
e de mal contigo
Que força é essa, amigo [bis 3]

Não me digas que não me compr'endes
quando os dias se tornam azedos
não me digas que nunca sentiste
uma força a crescer-te nos dedos
e uma raiva a nascer-te nos dentes
Não me digas que não me compr'endes

(Que força...)

(Vi-te a trabalhar...)

Que força é essa [bis]
que trazes nos braços
que só te serve para obedecer
que só te manda obedecer
Que força é essa, amigo [bis]
que te põe de bem com outros
e de mal contigo
Que força é essa, amigo [bis 10]"


"Que Força é Essa "
Sérgio Godinho

1 comentário:

ferreira-pinto disse...

Deve ser uma força desconhecida, tão desconhecida de todos que nos leva a adormecer e incapazes de um assomo de dignidade, um levantar de voz nuns tempos que sendo conturbados estão a ser bem aproveitados por quem nos quer esmagar e explorar ainda mais!

A ausência deve-se a um conjunto de factores, circunstâncias, desmazelo e preguiça! :)))
Mas eu volto, sem esquecer aqules que me cativam pela escrita.

E rato é que não; por acaso, touro num lado e dragão pelas bandas do Oriente e das coisas da bola também.